terça, 29 de junho de 2021 - 10:07h
Ação de fiscalização do Procon junto a Polícia Civil, resulta em prisão de empresário em decorrência de expressivo número de denúncias
Ação de fiscalização do Procon junto a Polícia Civil, resulta em prisão de empresário
Por: Janaina Corrêa
Equipe de fiscalização do Procon acompanhando a Polícia Civil em fiscalização no prédio da empresa Primal.

Na tarde de ontem (28), a equipe de fiscalização do Procon junto a Polícia Civil, realizou ação fiscalizatória na empresa Primal que já acumula mais de cem denúncias em seu nome. Na ação, foi efetuada a prisão do proprietário da empresa, além de documentos e equipamentos de informática apreendidos pela Polícia Civil para o prosseguimento da investigação instaurada.

 

As denúncias, recebidas pelo Instituto de Defesa do Consumidor-Procon e pela Delegacia de Crimes Contra o Consumidor-DECON, são de consumidores que efetuaram compras na loja Primal e não chegaram a receber seus produtos. A empresa, localizada no bairro Infraero 2, já havia passado por fiscalização do Procon em Abril, e no início de Junho recebeu ordem de suspensão temporária das atividades de venda, porém as denúncias continuaram a ocorrer de forma crescente. A Primal ficou conhecida através dos meios de comunicação, principalmente nas redes sociais, por vender materiais de construção e produtos eletrônicos com valor abaixo do praticado pelo mercado.

 

Além disso, o Instituto de Defesa do Consumidor fiscalizou os locais indicados pelo proprietário como estoque de materiais da empresa: um terreno ao lado do prédio matriz contendo duas estruturas de madeira e três boxes alugados, ambos localizados na Zona Norte de Macapá. A equipe constatou que não havia produtos suficientes para o número de vendas nos pontos indicados pelo empresário, caracterizando a ausência de estoque dos produtos ofertados.

 

Dessa forma, o Procon segue colaborando com a investigação conduzida pela Polícia Civil, e alerta a população para que pesquise antes de fechar um negócio, evitando golpes financeiros. “Nossos procedimentos administrativos contra a empresa continuam em andamento no Procon, e estão gerando outros procedimentos administrativos com autos de infração, de acordo com as demandas de denúncias apresentadas pelos consumidores” informou a Chefe de fiscalização do Procon, Lana Silva.

NEWSLETTER

Receba nossas notícias em seu e-mail ou celular.

PROCON-AP - Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá
Av. Henrique Galúcio, 1155B - Central, Macapá - AP - (96) 3312-1022 - gab@procon.ap.gov.br
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2021 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá